E quem foi que disse?

Eu posso saber quem foi que disse que futebol não é coisa pra mulher?
Tudo bem, como a nossa sociedade é originalmente machista dá pra entender que o pai prefira conversar sobre futebol com o filho do que com a filha, que a mãe tenha uma certa tendência a colocar a filha para aprender balé ainda que a criança seja louca por uma bola de futebol, mas vamos combinar, no século XXI?
Que isso, gente?! Eu não acho que o futebol faça uma menina ser “hominho” e que a dança faça o menino virar “mulherzinha”, acredito que o nível de instrução hoje seja muito alto para que alguns pais tenham esse medo, a criança hoje tem acesso a tanta coisa que se for para ela pender para um lado ou outro não vai ser por causa de uma bola e alguns “roxinhos” na canelinha, não é mesmo?!
Quando eu era criança eu amava acordar cedinho no domingo só para ir para o campo de futebol com meu pai e sinto até hoje o gosto que esses domingos deixaram na minha memória, é claro que eu também apreciava muito o picolé durante o jogo e o pastel que rolava depois com um caldo de cana bem docinho…doces lembranças…! E mesmo depois de “grandinha”, quando não íamos mais ao campo eu sempre assistia jogos pela televisão com ele.
Hoje tenho esse mesmo habito com o meu marido, é muito bom o domingo aqui nessa casa, acordamos bem tarde, fazemos almoço quando dá fome e assistimos futebol, e quer saber? Eu até entendo de futebol e gosto de assistir, comentar e torcer.
Ah, e já que estamos falando em torcer, tenho algo para contar aqui, mas é segredo, heim!Eu não era torcedora de nenhum time, não sei porque, mas hoje, confesso, sou torcedora do Vasco, mas não vale contar para o meu marido, heim…hehehe…!
Então fica registrado, darei liberdade para os meus filhos fazerem suas escolhas, ainda que essas não sejam as que eu escolheria para eles!