Utilidade pública

O que a Revolução do Sexo trouxe!

A Revolução do Sexo deu inicio nos anos 60 e foi marcada pela Revolução Gay e o surgimento de doenças sexualmente transmissíveis. É claro que por volta dos anos 60 e 70 os “revolucionários” não tinham noção do que estava por vir, mas com a cehgada dos anos 80 o mundo conheceu a Aids. A AIDS foi primeiramente relatada 5 de junho de 1981, quando o Centro para Controle e Prevenção de Doenças (CDC), dos Estados Unidos, registrou o Pneumocystis carinii (conhecida por ser causada por Pneumocystis jirovecii) em cinco homossexuais em Los Angeles, Califórnia.No início, o CDC não tinha um nome oficial para a doença, muitas vezes referindo-se a ela por meio das doenças que foram associados a ela, como por exemplo a linfadenopatia, a doença que os descobridores do HIV originalmente nomearam o vírus.Eles também utilizaram o nome “Sarcoma de Kaposi e infecções oportunistas”, nome pelo qual uma força-tarefa havia sido criada em 1981.Na imprensa geral, o termo “GRID”, sigla para “Gay-related immune deficiency”, já havia sido cunhado. O CDC, em busca de um nome e observando as comunidades infectadas, criou o termo “a doença dos 4Hs”, referindo-se aos haitianos, homossexuais, hemofílicos e usuários de heroína. No entanto, depois de determinar que a AIDS não era uma doença exclusiva da comunidade homossexual,o termo “GRID” tornou-se enganoso e o termo “AIDS” foi criado em uma reunião em julho de 1982. Em setembro 1982, o CDC começou a usar o nome de AIDS e adequadamente definiu da doença.A mais antiga identificação positiva do vírus HIV conhecida vem do Congo em 1959 e 1960, embora os estudos genéticos indicam que o vírus tenha passado para a população humana vindo de chimpanzés em torno de cinquenta anos antes.Um estudo recente afirma que o HIV provavelmente mudou da África para o Haiti e, em seguida, entrou nos Estados Unidos em torno de 1969.A teoria mais controversa sugere que a AIDS foi, inadvertidamente, iniciada no final dos anos 1950 no Congo Belga durante as pesquisas de Hilary Koprowski para a criação de uma vacina contra a poliomielite. De acordo com o consenso científico, essa hipótese não é apoiada pelas evidências disponíveis.Nos dias atuais portadores de HIV conseguem levar uma vida praticamente normal e conviver bem na sociedade, mas nos anos 80 não se sabia nada sobre a síndrome, a única coisa que se sabia era que o sistema imunológico ficava totalmente debilitado e levava o individuo a óbito. Os moralistas e religiosos da época começaram a declamar que essa doença era uma praga, maldição vinda dos céus, Deus estava a castigar os homossexuais. Enquanto mais de 20mil pessoas morriam por portar HIV a população mundial defendia a tese de que Deus estava trazendo juízo aos pecadores e que essas pessoas, os portadores deveriam permanecer afastados do resto da sociedade, sendo assim, “não pecadores” não se sentavam em bancos públicos, não falavam em telefones públicos, não falavam com homossexuais, com portadores do vírus, entre outras coisas esquisitas, não os julgo, pois a ignorância era completa na época, mas sei que eles não estavam ouvindo nada de Deus. Essa revolução compreendia relações sexuais liberadas entre heterossexuais e homossexuais, troca de parceiros, vários parceiros, consumo de drogas e algumas mulheres da época dizem que ela era totalmente machista, as mulheres acreditavam que a situação ia ficar melhor para elas, mas foi ao contrário, pois quando elas engravidavam os homens revolucionário não estavam nenhum pouco afim de assumir o filho, até mesmo por causa da grande liberdade, não dava para se saber ao certo de quem era o filho. Até então somente marginalizados eram portadores e sofriam preconcenito, mas em meados de 85 surgi o primeiro caso de Aids na mídia, Rock Hudson, ator e galã americano assumi ser portador da doença. Estranho que a partir de então os Estados Unidos começou a ver a doença de uma nova forma, o mundo passou a entender que qualquer um poderia ser portador ou ter algum familiar portador. A partir daí deu-se início à um trabalho de combate a doença, campanhas incentivando a abstinência sexual e proibindo a pornografia, o não uso de drogas e o sexo seguro passaram a fazer parte da rotina. A revolução sexual não trouxe nada de bom, o sexo é muito bom e abençoado, e para isso o ser humano não precisa de uma revolução, basta entender o que é o sexo, basta  entender que o sexo é abençoado por Deus e o compromisso que ela gera deve ser respeitado. Esse negócio de sexo seguro é sexo na hora certa. Não sou preconceituosa, muito pelo contrário, mas sou a favor da vida!!!

Anúncios

3 comentários em “O que a Revolução do Sexo trouxe!

    1. Concordo plenamente, Priscila. Deus criou o sexo para que o homem e a mulher se completassem em uma relação, no momento certo. E faz-se também necessário entender que não existe sexo antes do casamento, pois quando um homem e uma mulher tem uma relação sexual, a partir dai se casam perante Deus.

      Curtir

Comente...compartilhe suas ideias também!!! E lembre-se: Comentar não dói e faz uma blogueira feliz!!!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s