Maternidade

10 perguntas que você jamais deve fazer a uma mãe que fica em casa

Carregar no pano aconchega, acolhe, protege, embala, cura, acalma, ensina, conecta, sara a alma, faz crescer, a mãe e o bebê e faz nascer o pai que se dispõe a carregar no pano. Bebê carregado no pano não fica man (2)

Lembra daquele blog materno que já contei pra vocês que adoro, o diiirce da Milene?! Então, hoje vou compartilhar mais um texto dela com vocês por motivo de me vi nesse texto, minha gente! Vem comigo, vem!?

“Para manter sua integridade e sua cabeça no lugar, recomendo a leitura dessas 10 perguntas que você jamais deve fazer a uma mãe que fica em casa.

Passar o dia todo com as crianças em casa não é aquele filme de sessão da tarde que a gente achava que era antes de ter filhos. Às vezes, passamos dias sem botar o nariz para fora, não por falta de vontade, mas por causa da correria. O serviço de casa é ingrato: não acaba nunca. E, mesmo quando acaba, alguém coloca uma roupa suja no cesto. Muitas vezes, esse alguém é você mesmo, que precisa de um banho. Mas não aquele banho relaxante, pois quando uma mãe que fica em casa se banha, ela precisa ser rápida, ligeira. Antes que ganhe companhia ou uma casa suja ou um filho machucado.

É preciso ser bom da cabeça (ou seria louco mesmo?) para passar o dia dialogando com crianças. As conversas são rasas, objetivas, repetitivas (bota repetição nisso), ricas em gestos e pobres em duplo sentido. Quando você se dá conta, já está envolvida pelo espírito infantil, rindo de puns e no final do desenho da Peppa. E mesmo com tanta agitação, tem dias que a gente se sente muito sozinha 

E quando um adulto chega em casa, seja o marido, uma visita, uma mãe, uma sogra, seja um filho mais velho, é melhor não fazer qualquer uma das perguntas abaixo sob de pena de ter a cabeça arrancada com a faquinha do rocambole.

Confira agora

As 10 perguntas que você jamais deve fazer a uma mãe que fica em casa

  1. O que você fez o dia todo? Certamente uma mãe que fica em casa passa o dia deitada no sofá – minha vontade. Mas, como disse, o serviço de casa não rende, não vence. E tentar arrumar a casa com as crianças por perto é como escovar os dentes com Nutella. Por isso é bom ler este guia de sobrevivência da mãe e dona de casa.
  2. Por que você está gritando? EU NÃO ESTOU GRITANDO. estou? Eu sempre achei péssimo o tipo de mãe que grita com os filhos. Até o dia em que eles passaram a ser maioria. E eu, por vezes, não me sinto ouvida. Falo, peço, repito, olho nos olhos, e tendo sido ignorada tantas vezes no meu papel de mãe meiguinha, incorporo o Darth Vader (como essa amiga aqui). Até mais: Sinto o cabelo virar fogo, os dentes ficarem pontiagudos, os olhos ficam vermelhos e o berro sai. E tendo em vista que crianças berram o dia todo, não há como não se contagiar.
  3. Por que o jantar ainda não está pronto? Talvez porque passamos o dia comendo bolo de chocolate assistindo a filmes. Claro que não, né? Ficar em casa, cuidando as coisas, gritando com as crianças, exige uma boa dose de organização e um ciclo de disciplina que, por muitas vezes, é quebrado por um brinquedo que foi parar na privada, um copo de suco que caiu no sofá, uma criança que bateu a cabeça no chão ou um risco de canetinha na camiseta nova. E senta que o jantar vai demorar. Se é que hoje vai rolar.
  4. Posso dar uma relaxada agora que cheguei em casa? Pode, pode sim! Relaxa que eu vou preparar um drink com pinho sol para você. Fala sério! Se tem alguém que precisava dar uma relaxada, esse alguém sou eu. Esse alguém que não fez um xixi sozinha, não escutou o som do silêncio, não pode ver o programa favorito na TV, não conseguiu botar nada em ordem, não fez o jantar que estava com vontade… Relaxar… Ha Ha Ha! Isso é para os fracos.
  5. Você não comprou o que estava precisando? Comprei, mas ainda não se materializou. Pô, encare uma ida ao mercado com crianças. É um safári misturado com um jogo de basquete. Os animais estão soltos, querem correr e desbravar, enquanto a mãe precisa atuar como um pivô, na marcação homem a homem, cerrada. E o que você foi de fato buscar no mercado, ficou por lá.
  6. Por que você não contrata uma babá? Esta é uma pergunta que me tira muito, mas muito do sério. Escolhi ser uma mãe que fica em casa para curtir a infância dos meus filhos. Quero apreciar cada risada, brincar junto, ficar descabelada com cada traquinagem, ficar com o estomago embrulhado a cada troca de fralda, deixar escorrer uma lagriminha num abraço… Eu escolhi isso. E o que pesa não é cuidar das crianças, mas cuidar da bagunça que isso implica. 
  7. Por que você não toma um banho? Aaaaah! Mas é a coisa que eu mais queria. Lavar meus cabelos, depilar as penas, virilha e axila, passar um hidratante e secar meus cabelos. Mas assim que eu abrir o chuveiro, vai aparecer alguém peladinho querendo ser sua companhia. E você vai dizer não? Ou então você até vai conseguir a proeza do banho, mas vai encontrar as crianças pegando fogo com as brincadeiras do pai, e a casa de ponta cabeça. Deixa o banho de diva para lá….
  8. Por que você não relaxa? Mas é fácil relaxar com filhos. Cada quina é um perigo iminente. Cada brincadeira pode por a arrumação da casa em risco, cada saída de casa dá mais trabalho que organizar um casamento. E quando sai sozinha, só sabe falar de filho. Então vamos falar de coisas possíveis. Vamos falar da Top Therm.
  9. Você não acha que deveria sair mais de casa? Eu acho. Muito. Mas muito provavelmente terei que sair com filhos, o que me deixaria de cabelo em pé. A não ser que fosse para a casa de uma das avós, e isso, tecnicamente não é uma saída. Precisaria sair sozinha, uma volta no shopping para gastar um dinheiro que não tenho (embora o salário de uma dona de casa devesse ser de 12 mil reais), para comprar uma roupa que não vai ficar boa nesse corpo pós-parto forever. Então saio para comer, e volto com culpa e culotes.
  10. Por que você fica tanto nesse celular? Depois que a gente se torna mãe, sair de casa e se encontrar com amigos não é mais algo tão simples. Existe toda uma dinâmica, um esquema de guerra para tal. Muitas vezes até temos disposição para encarar essa batalha, mas sua olheira estão tão intensa, o esmalte descascado, sua sobrancelha tá meio Malu Mader anos 80. Então é mais cômodo permanecer em casa, cuidando das coisas que precisam ser feitas, berrando ao lado das crianças, mas permanecendo ativa socialmente nas redes sociais. Já que é esse o propósito das redes, não?! Então aproveita, e marca aquela sua amiga, seu marido nos comentários ou compartilhe o post para que todo mundo te entenda melhor.”

Por Milene em diiirce

Anúncios

Comente...compartilhe suas ideias também!!! E lembre-se: Comentar não dói e faz uma blogueira feliz!!!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s