Maternidade

Rotina Alimentar Infantil e IA (parte II)

 

annual Family Picnic (2)

Na segunda parte dessa série sobre Rotina Alimentar e IA falaremos sobre como iniciar a alimentação do seu bebê de forma saudável e prazerosa para vocês dois.

É muito importante compreender que o processo de alimentação deve ser tranquilo para que a criança tenha boas experiências e assim uma boa relação com a comida, momentos de tensão e “obrigação” podem gerar problemas alimentares futuros. Bem sério isso, néah!? Mas como nutricionista posso te garantir que muitos estudos comprovam isso. Sendo assim, o que estiver ao alcance do adulto que acompanha o bebê na IA pra tornar esse um momento prazeroso, ele deverá fazer.

Primeiramente vamos discorrer sobre os 4 métodos mais conhecidos de introdução alimentar que temos à nossa disposição, e assim então, deixar com que cada família escolha aquela que melhor se encaixa à sua rotina e realidade. O imprescindível é que a criança tenha acesso à cores, texturas e sabores diversos, caso não existam restrições. Quanto mais cores mais interessante será esse processo.

Métodos Tradicional

Esse método inicia- se aos 6 meses e conta com uma evolução gradual das papinhas. Nesse modelo o adulto é o controlador e regulador, ou seja, o bebê não tem autonomia. É o cuidador/a quem vai colocando os alimentos na boca do bebê, incentivando-o a comer. No meu ponto de vista não é o melhor dos métodos, pois existe uma linha muito tênue entre o prazer e a obrigação em se alimentar, o adulto pode cair na tentação de “forçar” mesmo quando o bebê apresentar rejeição.

Alimentação Responsiva

Também iniciada a partir dos 6 meses, com evolução gradual das papinhas. É uma alimentação ativa, ou seja, o adulto tem o papel de facilitador e ajudante, pacientemente, encorajando a criança a comer, mas não a forçando, assim respeitando seus sinais internos de fome e saciedade. A adulto facilita a “via/entrada” do alimento para o bebê e permite que o bebê participe ativamente desse processo, nesse tipo de alimentação o adulto fica totalmente atento às reações do bebê e entende a importância da não obrigação em se alimentar. Respeita a rejeição do bebê em relação ao alimento, deixando para oferecer em um outro momento.

BLW

Esse tem sido o método mais falado nos últimos tempos, a sigla significa Baby Led-Weaning (introdução alimentar guiada pelo bebê). Esse método ensina  sobre como respeitar os gostos do bebê, permitindo que o alimento fique totalmente à disposição para que ele mesmo o “conduza” à boca. Assim, o adulto não facilita e nem ajuda, fica apenas como responsável pelo preparo do alimento saudável e segurança enquanto o bebê se alimenta. Quem comanda se a criança já comeu o suficiente ou não é a criança. É um método que dá ao bebê total autonomia. Sugere-se que os alimentos sejam oferecidos para bebês maiores de 6 meses, em forma de pedaços, possibilitando que eles exercitem as suas escolhas e comam sozinhos com as mãos.

Alimentação Participativa

Esse modelo utiliza parte dos fundamentos da alimentação responsiva e do BLW. Na prática, você deixa o bebê à vontade para comer, mas interfere sempre que preciso, agindo como um facilitador e encorajador.

Na minha opinião como nutricionista e na minha experiência como mãe de três, a Alimentação Participativa é o melhor método. É um método prático, onde podemos trabalhar facilitando essa iniciação do bebê, mas também permitimos que eles tenham autonomia, sendo assim um método muito rico. Foi esse método que utilizamos com nossos três filhos e tivemos bons resultados. Atualmente minhas crianças comem de tudo, dificilmente rejeitam um alimento sem antes experimentar, ou seja, não apresentam restrições ao novo e sempre optam por alimentos aos quais tiveram acesso na fase de IA. Lembrando que a oferta de fritas e verduras foi muito alta nessa fase.

Dicas que podem auxiliar:

1- Coma o mesmo que você oferece ao seu bebê! Se você ainda não tem uma alimentação adequada e saudável, procure ajuda profissional e passe por uma reeducação alimentar. Isso vai transformar sua vida e incentivar a alimentação saudável da sua cria!

2- Torne as refeições um momento prazeroso! Não decrete a 3ª Grande Guerra Mundial na hora da alimentação do seu bebê, se vocês começarem e você perceber que não está legal, que ele/a está irritado, que vocês não estão tendo um dia bom, adie! Na verdade, a IA inicia aos 6 meses, mas isso não quer dizer que o sucesso dela chegará antes dos primeiros 12 meses do bebê, alguns bebês levarão mais tempo mesmo e é preciso relaxar enquanto à isso. Bebês que estão em livre demanda de LM podem continuar até que peguem o ritmo da rotina alimentar.

3- Hora de comer é hora de comer! Não vale brinquedos, tablet’s, celular ou televisão nessa hora. É PROIBIDO MESMO! Se você quer que o seu bebê coma bem e de forma saudável é preciso criar um ambiente propicio pra que ele entenda isso e capture a ideia da rotina alimentar. Ele precisa entender que a vida é feita de rotinas e se alimentar é uma delas.

4- Não insista! Entenda os sinais de saciedade do seu bebê, fique atenta para perceber caretas e não force. Lembrando que é apenas a iniciação de um processo e ele não é obrigado a comer tudo logo de primeira. Vamos dar tempo ao tempo.

5- Não substitua! Não é permitido substituir. O bebê não quis comer tudo? Ok! Dê um tempo e espere ele pedir o “mama”, não fique desesperado/a e substitua por biscoito, iogurtes ou qualquer outra coisa. Se ele não quis comer é porque não tem fome, não se engane!

6- Ofereça pelo menos 10 vezes o mesmo alimento! O bebê está rejeitando determinado alimento? Isso não quer dizer nada, ainda! É preciso oferecer, no mínimo, 10 vezes para que o bebê possa conhecer o alimento. Imagina comigo, ele/a está há 6 meses se alimentando de leite, um único sabor, textura e até mesmo temperatura e do nada começam a lhe oferecer outras cores, sabores, temperaturas, texturas, é normal que a primeira reação seja a rejeição. Por isso é preciso ter paciência e dar tempo ao seu bebê!

7- Respeite o tempo do seu bebê! Como já dito antes, nem todo bebê vai chegar no aniversário de um aninho comendo de tudo, alguns terão mais resistência e isso não é um problema, o leito materno será o suficiente para suprir todas as necessidades nutricionais dele, até mesmo as fórmulas hoje já possuem essa capacidade de suprir.

 

Anúncios

Comente...compartilhe suas ideias também!!! E lembre-se: Comentar não dói e faz uma blogueira feliz!!!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s